cantinho da folia


primeiras manifestações carnavalescas

Uma das primeiras manifestações carnavalescas no Rio de Janeiro foi o ENTRUDO, trazido para o Brasil pelos colonos portugueses no séculos XVII. O Carnaval do Rio de Janeiro, no início do século XIX, se organizava em torno de dois tipos de entrudos: o ENTRUDO POPULAR (grosseiro e característico das ruas da cidade) e o ENTRUDO FAMILIAR (mais delicado e familiar, que tinha lugar dentro das casas senhoriais).


primeiro carnaval brasileiro foi no Rio

O primeiro Carnaval brasileiro aconteceu em 1641, no Rio de Janeiro, promovido pelo governador Salvador Correia de Sá e Benvides em homenagem Rei Dom João IV. "A festa teve duração de uma semana, a contar do domingo de Páscoa em diante" (2).


primeiro baile de máscaras

A "Elite Carioca" por considerar o grosseiro os festejos carnavalescos acabou copiando o "Bal Masqué" do carnaval parisiense (Paris, França) em teatros e salões. O primeiro BAILE DE MÁSCARAS no Brasil foi realizado em 1840, no Hotel Itália (Largo do Rócio), no Rio de Janeiro. Tamanha foi a repercussão que o ano seguinte, a maioria dos estados e principais cidades brasileiras aderiram ao baile carnavalescos.
Dos salões, os Bailes foram transferidos aos Teatros. Em 1880, os Bailes incluiram músicas "cantadas" entoada pelos coros. No Carnaval de 1903, o Rio inteiro perguntava QUEM INVENTOU A MULATA?, de Ernesto Souza.

Nestes anos o Carnaval no Rio de Janeiro é comemorado duas vezes, devido:
Em 1892 - O carnaval do Rio de Janeiro é transferido para o mês de junho por ser mais saudável.
Em 1912 - O Carnaval é transferido para o mês de julho devido ao falecimento do Barão do Rio Branco.

1897 - Confetes trazidos da Europa são introduzidos no Carnaval Carioca
1906 - Os desfiles são transferidos da Rua do Ouvidor para a Avenida Central
1906 - Uso do Lança Perfume no Carnaval
1949 - A Rádio Continental transmite o Carnaval pela primeira vez

Em 1840 surge o Carnaval no Hotel Itália, na Rua Tiradentes
Em 1904 - surge a denominação BLOCO DOS SUJOS, satirizando e limpeza do Rio de Janeiro durante o Carnaval efetuada por Pereira Passos.
Em 1907 surge o primeiro BAILE INFANTIL organizado pela Colomy Clube
Em 1909, O Jornal do Brasil organiza o primeiro concurso de Ranchos, no Rio de Janeiro
Em 1909 surge o primeiro concurso, promovido pelo Baile High Life (fundado um ano antes), elegendo a mais bela mulher, a melhor fantasia e dança, promovido pela High Life só os homens votavam. O prêmio era uma jóia valiosa e só os homens votavam.
Em 1918 surge o Baile dos Artistas no Teatro Fênix, até 1921. Passou pelo Assyrius e Teatro Municipal e em 1932 foi para o Hotel Glória.
Em 1932, surge o Baile do Municipal no Teatro Municipal com a presença do Presidente Getúlio Vargas. O Baile ganhou fama internacional pelo Concurso de Fantasia. Destaque para Clóvis Bornay.
Em 1951, surge o Baile Caju Amigo de Carlos Niemeyer (Nini). Nos anos 60, o Baile dos Pierrôs.
Em 1978 criado pelo produtor musical Guilherme Araújo, surge o O SUGAR LOAF CARNIVAL BALL, considerado um dos mais lindos e elegantes bailes de carnaval do Rio de Janeiro, sendo realizado em 15 edições.


começa a folia do Zé Pereira

Foi no dia 23 de fevereiro de 1946, numa segunda-feira de carnaval, no Rio de Janeiro (Brasil), que o PERSONAGEM CARNAVALESCO entrou para a HISTÓRIA DO CARNAVAL e passou ser conhecido popularmente até hoje como ZÉ PEREIRA.

O sapateiro português JOSÉ NOGUEIRA DE AZEVEDO PAREDES saiu da Rua São José, nº22, seguindo pelas ruas do Rio, vestido com calças amarradas pelo suspensório e chapéu, com um imenso bigode, tocando seu bumbo desordenadamente. "Não chegando a produzir qualquer espécie de música, sem nenhum ritmo compassado.





A alegria foi contagiante e foi seguido por inúmeros amigos e também desconhecidos que aderiram a folia.

Anos seguintes, não apenas o bumbo do Zé Nogueira participou da folia, mas zabumbas, tambores e tantos outros instrumentos o acompanharam anarquicamente pelas ruas.

E logo, formou-se grupos espalhados pela cidade desfilando ao som das pancadas dos instrumentos. A maioria dos pesquisadores apontam o surgimento do Zé Pereira para 1846, mas há outros que apontam datas diferentes como 1852 (Edmundo, 1987) ou em 1848 e 1850 (Araújo, 2000), CONTINUAÇÃO AQUI



entrudo familiar e popular



obra de arte : Entrudo (FAMILIAR) - Márcio Mello

Para o historiador Felipe Ferreira (1), o Carnaval do Rio de Janeiro, no início do século XIX, se organizava em torno de dois tipos de entrudos :

ENTRUDO POPULAR - grosseiro e característico das ruas da cidade

ENTRUDO FAMILIAR - mais delicado e familiar, que tinha lugar dentro das casas senhoriais.

Com o intuito de CIVILIZAR esses festejos, considerados grosseiros e ligados ao passado colonial, a "Elite Carioca" importaria o carnaval parisiense (Paris, Franç), com seus bals masqués em teatros e salões.

Para se chegar aos bailes, organizavam-se cortejos de carruagens. Estes acabavam por se deparar com as brincadeiras populares que não tinham desaparecido. Oresultado desse encontro entre os diferentes grupos carnavalescos seria a hierarquização das vias urbanas. As modificações por que passaria a festa traduziriam, dessemodo, não somente a tensão e a oposição entre as classes sociais, mas também sua abertura ao diálogo. O moderno carnaval brasileiro é, portanto, um casamento entreas tradições populares e o modelo estrangeiro, tomando posse do espaço público e se transformando na festa de toda uma cidade, de toda uma população. O entrudo popular era visto com maus olhos pela elite, pois era considerada uma festa imoral e indecente. No período imperial, surgiu na sociedade o desejo de "arrumar" o ambiente do carnaval.


Por volta de 1800 havia uma separaço entre Entrudo (anárquico) e o Carnaval (Organizado, uma festa para descontraçãoo das elites). Os nobres e a elite passaram condenavam o ENTRUDO POPULAR e até mesmo o ENTRUDO FAMILIAR,considerando-o também uma prática incoviniente e bárbara. Mas em 1855 que o Carnaval ganha força as ruas, onde os artistas e intectuais defilam fantasiadas em carros alegóricos (corsos) e começaram a organizar um NOVO CARNAVAL inspirado nos carnavais da Europa (Paris, Nice e Veneza) e passaram a fazer bailes mascarados e os passeios das carruagens (Corsos).


passarela do samba

Antigamente os desfiles das Agremiações das ESCOLAS DE SAMBA do Carnaval da cidade Rio de Janeiro, estado do Rio de Janeiro (Brasil), aconteciam na Rua Marquês de Sapucaí, bairro Santo Cristo;, mas em 01/01/1984 foi inaugurado no mesmo local, o SAMBÓDROMO da MARQUÊS de SAPUCAÍ ou PASSARELA DO SAMBA.

O Sambódromo é oficialmente chamado por "Passarela Professor Darcy Ribeiro", um antropãlogo, educador, escritor, ex-ministro e vice-governador. Paralelamente blocos independentes desfilam pelas ruas do Rio, um dos tradicionais: CORDÃO DA BOLA PRETA


o maior carnaval do mundo

Mesmo de origens contravérsias, o carnaval é um ritual que compõe a identidade brasileira. Em 2014, o Carnaval Brasileiro entrou para o Livro dos Recordes (Guinness World Records Book) como o MAIOR CARNAVAL DO MUNDO. O Título é para o Carnaval do Rio de Janeiro, CONFIRA AQUI.


escolas de samba vencedoras

1932 - Mangueira -"Sorrindo" e "Na Floresta"
1933 - Mangueira - Uma Segunda-feira no Bonfim da Bahia
1934 - Mangueira - República da Orgia
1934 - Recreio de Ramos
1935 - Vai Como Pode - O samba dominando o mundo
1936 - Unidos da Tijuca - Sonhos delirantes - CONTINUAÇÃO AQUI

... A T U A L I Z A N D O ...



BIBLIOGRAFIA
- Pesquisadora Lilian Cristina Marcon
(1) FERREIRA, Felipe, O Livro de Ouro do Carnaval Brasileiro, Editora Ediouro, 2004
(2) FALEIRO, Angelita - Desbravando nosso Folclore, Editora Biblioteca 24 horas, 2010
- ARAÚJO, Hiram da Costa - Carnaval: seis milênios de história, Editora Gryphus, 2000.
- COSTA, Haroldo - 100 anos de carnaval no Rio de Janeiro, Editora Irmãos Vitale, 2001.

CarnAxE, o autêntico e mais completo Portal do Carnaval

Cultura e Folia : www.carnaxe.com.br