Deusa do Ébano

Há anos atrás, quando do surgimento do Ilê Aiyê, não havia nenhum registro de que uma mulher negra tivesse ousado concorrer em uma competição de beleza. Apesar da população brasileira ser majoritariamente mestiça (este é um fato histórico irreversível), o Brasil sempre exportou um biotipo de mulheres nos concursos de beleza que nunca correspondeu à realidade étnica nacional. Excetuando os concursos de “mulatas” e os “oba-obas” dos “ziriguiduns”, que não passaram pela questão da consciência de negritude, e nem mesmo da valorização da mulher. Em se tratando de Salvador, Bahia, a questão se agrava muito mais. É só com o surgimento do Ilê que vem à tona a discussão acerca “de ser negro”, da negritude, do padrão de beleza diferente – mas não inferior – dos cabelos, da pele, das indumentárias, da história.
Quem somos, de onde viemos, de África, dos reinos e das culturas africanas, de reis e rainhas africanas. O Ilê “botou a boca no mundo”. Cantando, contando e recontando essas histórias através das letras das músicas que, além de elevarem a estima da população negra baiana, “ajudou a Bahia a se enxergar como uma nação negro-mestiça”.

Um dos maiores objetivos da Associação Cultural Ilê Aiyê é sedimentar a auto-estima na comunidade negro-mestiça de Salvador e propagar a cultura afro-baiana para os mais diversos pontos do mundo. Na “Noite da Beleza Negra”, o Ilê faz isso com o foco direcionado para a mulher negra. Mas a estética que rege a noite é ampliada. São analisados os trançados dos cabelos, as estamparias do tecido, a graça da dança mas, sobretudo, a candidata deve ter consciência da sua negritude e ser atuante na comunidade para tornar-se vencedora da Noite da Beleza Negra. Por isso, quando o Ilê Aiyê realiza esta Festa está fortalecendo a cultura baiana através da afirmação da consciência negra e da manutenção das nossas raízes. Na "Noite da Beleza Negra", também prestigiada pelo povo e pela intelectualidade nacional e local, ocorre sempre 15 dias antes do sábado de Carnaval. Nesta noite, será escolhida, entre as várias finalistas, a Deusa do Ébano, que brilhará no Carnaval/2005 e participará das apresentações do Bloco no Brasil e no mundo durante todo o ano. A Noite da Beleza Negra do Ilê Aiyê é hoje o maior concurso de beleza e exaltação da Mulher negra no Brasil. Nele elegemos a Deusa do Ébano (Rainha do Ilê), ela tem a missão de levar ao público todo encanto e consciência que a mulher negra necessita para elevar sua auto-estima e censo crítico.

1975 - rainha Tema ILÊ AIYÊ
1976 - rainha MIRINHA - Tema WATUTSI
1977 - rainha PATRÍCIA - Tema ALTO – VOLTA
1978 - rainha RITA - Tema CONGO – ZAIRE
1979 - rainha SANDRA - Tema RWANDA
1980 - rainha AUXILIADORA - Tema CAMERUN
1981 - rainha PENINHA - Tema ZIMBABWE
1982 - rainha ITAGUARACIRA - Tema MALI – DOGONS
1983 - rainha AIDA - Tema GHANA – ASHANTI
1984 - rainha AIDIL - Tema ANGOLA
1985 - rainha ROSIMEIRE - Tema DAOMÉ
1986 - rainha TELMA - Tema CONGO – BRAZZAVILLE
1987 - rainha MIRINHA - Tema NIGÉRIA
1988 - rainha EUNICE - Tema SENEGAL
1989 - rainha HEIDE - Tema PALMARES
1990 - rainha FLORISNALDA - Tema COSTA DO MARFIM
1991 - rainha ROVANIA - Tema REVOLTA DOS BÚZIOS
1992 - rainha REGINA - Tema AZÂNIA
1993 - rainha RAIMUNDA - Tema AMÉRICA NEGRA – O SONHO AFRICANO
1994 - rainha CÁTIA - Tema UMA NAÇÃO AFRICANA CHAMADA BAHIA
1995 - rainha ROSE - Tema ORGANIZAÇÕES DE RESISTÊNCIA NEGRA
1996 - rainha SORAYA - Tema CIVILIZAÇÃO BANTU
1997 - rainha MÔNICA FERREIRA - Tema PÉROLAS NEGRAS DO SABER
1998 - rainha GERUSA MENEZES - Tema GUINE CONAKRY
1999 - rainha SUELY CONCEIÇÃO - Tema A FORÇA DAS RAÍZES AFRICANAS
2001 - rainha PRISCILA SANTOS DA SILVA - Tema ÁFRICA VENTRE FÉRTIL DO MUNDO
2002 - rainha TAIS CARVALHO SACRAMENTO - Tema MALÊS – A REVOLUÇÃO
2003 - rainha LUCINETE CALMON DE ARAUJO - Tema A ROTA DOS TAMBORES NO MARANHÃO
2004 - rainha TALITA BEZERRA DE AMORIM - Tema MÃE HILDA JITOLU – GUARDIÃ DA FÉ
2005 - rainha IVANA GOMES AMORIM - Tema MOÇAMBIQUE – VUTLARI
2006 - rainha KATIA ALVES DE JESUS - Tema O NEGRO E O PODER
2007 - rainha FERNANDA R. DO NASCIMENTO - Tema ABDJAN,ABUJA,HARARE E DAKAR
2008 - rainha ADRIANA SANTOS SILVA - Tema CANDACES – Rainhas do Império Meroe
2009 - rainha EDILENE ALVES DOS SANTOS - Tema ESMERALDAS – Pérola Negra do Equador
2010 - rainha GISELE DA SILVA SANTOS - Tema PERNAMBUCO UMA NAÇÃO AFRICANA
2011 - rainha LUCIMAR CERQUEIRA SOUSA - Tema MINAS GERAIS SÍMBOLO DE RESISTÊNCIA NEGRA
2012 - rainha EDJANE NASCIMENTO DOS SANTOS - Tema NEGROS DO SUL, LÁ TAMBÉM TEM!
2013 - rainha DAIANA DOS SANTOS RIBEIRO - Tema GUINÉ EQUATORIAL
2014 - rainha CYNTHIA PAIXÃO DE JESUS - Tema DO ILÊ AXÉ JITOLU PARA MUNDO. AH, SE NÃO FOSSE O ILÊ AIYÊ
2015 - rainha ALEXANDRA AMORIM - Tema DIÁSPORA AFRICANA – JAMAICA – OS AFRODESCENDENTES
2016 - rainha LARISSA DE OLIVEIRA - tema O RECÔNCAVO BAIANO É AFROBRASILEIRO - CARA PRETA


REIS DO ILÊ AIYÊ
1º Rei – NEM
2º Rei – NILSON
3º Rei – REZEDÁ Bibliografia : confira aqui




VOLTA   |    Ilê Aiyê   |    Temas   |    Deusa do Ébano   |    Festival de Música   |    Discografia   |    Trajetória Histórica   |    HOME